Carregando

Aguarde
29/08/2019

Nota de apoio ao ato em defesa de direitos na Metodista: "A todos, estendemos a solidariedade e o apoio da Federação dos Professores do Estado de São Paulo e dos seus sindicatos integrantes. Basta de salários atrasados, basta de desrespeito a direitos!". Leia a nota completa aqui: http://bit.ly/2Hu6KCY


Hoje, 28 de agosto: dinheiro da “lava-jato” para a educação, MEC 2020: o cronograma dos cortes na área, professores adoecem devido às condições de trabalho, e mais.

 

EDUCAÇÃO BÁSICA


Governo Bolsonaro cancela premiação
de professores de educação básica

Yahoo Notícias; 27/08
http://bit.ly/30Gv7Vx

O MEC (Ministério da Educação) cancelou nesta terça-feira (27) uma premiação que reconheceria professores de escolas de educação básica, etapa apontada como prioridade do governo Jair Bolsonaro (PSL). O Prêmio Professores do Brasil previa o reconhecimento de mais de 500 professores e a distribuição de R$ 278 mil a profissionais de destaque. A decisão pegou de surpresa parceiros do projeto, como entidades que representam secretários municipais e estaduais de Educação.

 

EDUCAÇÃO SUPEIOR


Comissão aprova cortes no orçamento
de Educação e Justiça para 2020

Exame; 27/08
http://bit.ly/2Pj0sMD

A Comissão Mista de Orçamento do Congresso aprovou nesta terça-feira (27) projeto do governo que remaneja R$ 3 bilhões do Orçamento da União. Ele está pronto para ser votado pelo plenário do Congresso e, se for aprovado, segue para sanção do presidente Jair Bolsonaro. O projeto cortou R$ 926 milhões do Ministério da Educação ao cancelar R$ 1,6 bilhão, mas redirecionará R$ 230 milhões deste montante para a própria pasta.


Artigo | Educação, com inovação
Estadão; 28/08
http://bit.ly/2ZwQwD8

Por Silvio Meira: Os dados recentes sobre educação no Brasil mostram que 61% dos alunos que iniciaram cursos de pedagogia e licenciatura em 2017 entraram no ensino “à distância” (EAD), contra 34% em 2010. É um número desproporcional ao do sistema como um todo [27% vs. 13%], apesar do crescimento ser da mesma ordem de grandeza. Uma primeira leitura diz que os futuros professores, que hão de cuidar das salas de aula, lá no futuro, não estão nas... salas de aula. E isso pode ser muito bom. Por quê?

 

MUNDO SINDICAL

Fepesp cria novos serviços e agiliza atendimento à categoria
Agência Sindical; 27/08
http://bit.ly/2MG5ocz

A Federação dos Professores do Estado de São Paulo (Fepesp) disponibiliza dois novos serviços e agiliza o atendimento ao professorado. Ambos podem ser acessados via site e possibilitam ao trabalhador entrar em contato com a entidade a qualquer momento, dia e noite, de segunda a segunda. Fica mais fácil comunicar denúncias ou chamar atenção para ocorrências no estabelecimento onde o profissional trabalha. O primeiro serviço é o Fala que eu te escuto. Basta entrar no site e clicar no banner logo acima, no lado esquerdo. Uma página vai se abrir. Ali há espaço a ser usado para o registro de fatos relevantes, solicitações, pedidos de esclarecimentos ou outros tipos de informação. O profissional só se identifica se quiser. Ainda mais ágil é o Bot. Localizado no canto direito, bem no pé do site, é um botão para atendimento automático.


Professoras e professores adoecem
devido às péssimas condições de trabalho

Brasil 247; 26/08
http://bit.ly/2HwFaF1

Um levantamento feito recentemente pela reportagem do telejornal SBT Brasil chamou a atenção para a carreira dos docentes no estado de São Paulo. Segundo a reportagem, 45 professoras e professores pedem afastamento do trabalho por problemas de saúde diariamente. A maioria por esgotamento nervoso. Assim como mostra a pesquisa realizada pela Associação Nova Escola, entre junho e julho de 2018. Ao ouvir 5 mil professoras e professores, o estudo constatou que 66% dos profissionais precisaram se afastar do trabalho por adoecimento. Sendo que 87% acreditam que o problema é causado pelo excesso de trabalho e pela falta de infraestrutura.


Trabalho do homem, valor da pensão:
o que o relator quer mudar na Previdência

UOL; 27/08
http://bit.ly/2LbsowD

O relator da reforma da Previdência no Senado, Tasso Jereissati (PSDB-CE), propôs algumas mudanças no projeto, como a redução do tempo mínimo de contribuição de 20 para 15 anos para todos os homens, estando no mercado de trabalho ou não, a garantia de um salário mínimo para quem recebe pensão por morte, além da inclusão de estados e municípios nas novas regras.


Artigo: Fagnani | Previdência: o jogo não acabou
Outras Palavras; 26/08
http://bit.ly/30HirO5

“O debate honesto e tecnicamente qualificado proporcionado por dezenas de especialistas do campo progressista serviu de subsídio para ação parlamentar. Embora minoritária, a bancada oposicionista foi intransigente na defesa dos interesses da sociedade. Essa postura possibilitou que o texto original da PEC n. 6 de 2019 sofresse alterações substantivas na Comissão Especial e na votação em 1º turno na Câmara dos Deputados. Pela pressão dos movimentos sociais, os deputados abortaram as medidas mais indecentes que ameaçavam a proteção previdenciária da população mais vulnerável. O resultado do jogo até aqui não é o resultado final. Em agosto e setembro, a “reforma” ainda tramitará na Câmara dos Deputados (segundo turno) e no Senado (dois turnos). Há, pois, uma derradeira possibilidade para que a sociedade reaja no sentido de impedir a consumação dessa catástrofe humanitária à vista”.


Liberdade econômica: trabalho aos domingos não foi revogado
Agência Sindical;
http://bit.ly/2ZA4Tqm

Na ansiedade de se oferecer segurança jurídica e liberdade para o empreendedor atuar sem amarras legais no mercado, a MP 881/19, conhecida como “MP da Liberdade Econômica”, transformada no Projeto de Lei de Conversão (PLV) 21/19, trouxe para o cenário legal a liberação do trabalho aos domingos e feriados, sem contrapartidas para os trabalhadores. Em que pese a nobre tentativa de alguns senadores de buscar evitar tal dano aos assalariados, em especial do comércio, professores e bancários, o projeto aprovado no Senado, que aguarda a sanção do presidente da República, permite o trabalho aos domingos e feriados, antes proibido por leis específicas.


Anamatra: MP 881 revoga dispositivos sobre repouso
remunerado e cria ambiente de insegurança jurídica

Diap; 27/08
http://bit.ly/2Lgn7DY

O Senado Federal aprovou, na noite da última quarta-feira (21), o Projeto de Lei de Conversão (PLV) 21/19, decorrente da Medida Provisória 881/19, conhecida como “MP da Liberdade Econômica”. O texto promoveu mudanças no Código Civil, em regras dos fundos de investimento e na legislação trabalhista, objetivando, conforme se argumentou, a desburocratização e a simplificação de processos para empresas e empreendedores. A proposta seguiu para sanção do presidente da República, Jair Bolsonaro.


CUT e centrais aderem ao Grito dos Excluídos, no dia 7 de setembro
Contee; 27/08
http://bit.ly/2ZyjI8I

Reunidas nesta segunda-feira (26), na sede do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em São Paulo, a CUT e demais centrais sindicais – CGTB, CSB, CSP Conlutas, CTB, Força Sindical, Intersindical, Nova Central Sindical e UGT – definiram uma agenda de luta em defesa da Previdência e decidiram aderir e potencializar o Grito dos Excluídos, no dia 7 de setembro, em todo país.


Artigo | Governo Bolsonaro dinamita
mundo do trabalho e põe o Brasil de joelhos

Carta Capital; 27/08
http://bit.ly/2zrFoca

Por Carlos Drummond: Nenhuma decisão capaz de reanimar a economia, nenhum plano emergencial para enfrentar o desemprego colossal, nenhuma estratégia para enfrentar a turbulência internacional crescente. Este é o saldo entregue por Jair Bolsonaro e seu ministro da Economia, Paulo Guedes, após oito meses de governo que parecem oito anos, dada a quantidade imensurável de desatinos.

 

E TEM MAIS


Amazônia na sua aula
Fepesp; 27/08
http://bit.ly/2U68KXb

A Amazônia voltou a ocupar as manchetes dos principais veículos de comunicação e redes sociais. E não por um fato positivo: o desmatamento e queimadas na região provocaram nuvens de fumaça que chegaram até o Sudeste do Brasil. Em vista do Dia da Amazônia, em 5 de setembro, vale trabalhar com seus alunos alguns conceitos importantes de meio ambiente e sustentabilidade. Para isso, trazemos as seguintes sugestões de planos de aula, todos completos com atividades.


AGU concorda com destinação de fundo
da "lava jato" para educação e Amazônia

Conjur; 27/08
http://bit.ly/2LqQRhV  

A Advocacia-Geral da União propôs que destinação integral do dinheiro obtido pela operação "lava jato" em acordo com a Petrobras seja depositado em favor da União em programas de educação e para a Amazônia. A manifestação da AGU coincide com as sugestões feitas pela PGR, mas propõe distribuição de valores diferente. Segundo a AGU, cerca de R$ 1,5 bilhão deve ser destinado para o pagamento de despesas discricionárias relacionadas ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), em prol da execução de políticas públicas relacionadas à educação infantil.


Artigo | A Amazônia precisa de livro
e escola, não de garimpo e motosserra

Folha de S. Paulo; 28/08
http://bit.ly/2Zok5rp

Por Leandro Beguoci: A Amazônia possui alguns dos piores índices educacionais do país. Apenas 18% das crianças de 0 a 3 anos estão em creches –a média de todos os Estados da federação é de 34%, o que não é grande coisa. O Norte também é lanterninha em acesso à pré-escola e em número de jovens que concluem o ensino fundamental. Com raras exceções, as pessoas que vivem do Acre ao Pará, de Rondônia ao Amapá, têm menos oportunidades de aprender e crescer do que seus compatriotas linha do Equador abaixo.